Projeções económicas II (Portugal)

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Segundo as previsões apresentadas no Boletim de Junho do Banco de Portugal, após a queda de 7,6% em 2020, o PIB em 2021 crescerá 4,8% e prevê-se que em 2022 cresça 5,6%. Este crescimento inclui os avanços na vacinação, e a manutenção das políticas económicas.

A taxa de desemprego terminará com um ligeiro aumento em 2021: de 7% de 2020 para 7,2% no ano corrente, sendo que, nos anos seguintes, irá reduzir gradualmente até aos 6,8% previstos para 2023. Esta redução dependerá da recuperação lenta das atividades mais afetadas pela pandemia.

A inflação aumenta lentamente, a taxa de variação anual do índice harmonizado de preços no consumidor após -0,1% em 2020, aumenta para 0,7% em 2021, 0,9% em 2022 e 1% em 2023, continuando a manter um diferencial negativo em relação à zona euro.

Nos próximos anos, Portugal terá, novamente, oportunidade de crescer proporcionalmente em relação à Europa. Com a entrada de fundos europeus, até 2030 o país terá acesso a 45 mil milhões de Euros em fundos comunitários: 17MM via PRR (Programa de Recuperação e Resiliência), 5MM que restam dos fundos comunitários (PT 2020) e 13MM dos incentivos relativos ao programa 2030. Com esse auxílio monetário e uma estratégia de investimento nas PMEs, as quais representam mais de 95% do mercado português, haverá estímulo e condições para que as próximas projeções económicas sejam mais favoráveis para Portugal e para os seus habitantes.